quinta-feira, 2 de junho de 2016

Grupos Sociais e Instituições Sociais

Grupos Sociais
Os grupos sociais são definidos pela interação estabelecida entre as pessoas e o sentimento de identidade existente; em outros termos, é a forma básica de associação humana.
O que difere os grupos sociais dos chamados “agregados sociais”, é justamente a forma de interação entre as pessoas, ou seja, uma multidão numa passeata corresponde a um agregado social e não necessariamente a um grupo social, visto que compartilham, de alguma forma, um ideal, uma curiosidade, contudo, durante sua efetivação, estabelecem o mínimo de comunicação e de relações sociais.
Com efeito, de modo sistemático e coerente, dentro de um grupo social, os indivíduos que o compõem, desenvolvem uma relação estável, os quais compartilham histórias, objetivos, interesses, valores, princípios, símbolos, tradições e, sobretudo, as leis e as normas que asseguram as relações interpessoais e o desempenho de determinados papéis entre os sujeitos sociais.
Observe que durante a vida participamos de diversos grupos sociais, seja na escola, nas manifestações religiosas, tradicionais e culturais.
Assim, desenvolvemos muito de nossas reflexões a partir do nosso entorno, de modo a concluir que um grupo social possui uma função primordial na configuração da sociedade, uma vez que auxilia na criação de uma identidade grupal, bem como na formação dos gostos e preferências, valores e visões de mundo.
Alguns mecanismos de sustentação dos grupos sociais são: liderança (pessoal ou institucional), normas, sanções e valores sociais.
Jean Paul Sartre (1905-1980), filósofo e crítico francês, discute sobre a formação dos grupos sociais e atribui à composição dialética dos grupos, o conceito de “serialidade”, ou seja, o processo que denota a dispersão e a solidão dos homens, e na medida que é superado, ocorre a constituição de um grupo social, por meio do processo inicial denominado “fusão social”.
Como exemplo, podemos citar a fila de um banco, donde as pessoas permanecem juntas, porém, sem interação e integração. Essa falta de interação, já denota a inexistência de um grupo social.
http://www.todamateria.com.br/grupos-sociais/

O que é Instituição Social?

“Instituição Social” é uma forma de organização da sociedade. Como exemplo, podemos citar a família, o Estado, a Escola, as ONGs e a denominação religiosa.

A instituição social é uma estrutura social relativamente permanente e marcada por padrões de comportamentos delimitado por normas e valores específicos, sendo marcada por finalidades próprias, além de uma estrutura unificada.

Tomemos como exemplo as denominações religiosas. Por denominação religiosa entendemos as instituições praticantes de uma religião. O cristianismo é uma
religião, já a Igreja Católica Apostólica Romana é uma das denominações religiosas dessa religião. Poderíamos citar como denominação religiosa  a Igreja Universal do Reino de Deus, a Assembleia de Deus, a Igreja Presbiteriana do Brasil, etc.

No caso das denominações religiosas, sua estrutura é marcada por uma hierarquia específica (por exemplo, Pastor, diácono, obreiro, membro, etc.), normas de conduta (por exemplo, não usar determinados objetos ou vestimentas), crenças (por exemplo, crer na Trindade) e valores próprios (não matarás, não cobiçar a mulher do próximo).

Todas as Instituições Sociais têm função (meta, objetivo ou propósito) e estrutura. A função é o elemento agregador, enquanto que a estrutura é o elemento organizador, possibilitador da convivência social.

As instituições podem ser de origem espontânea (família) ou criadas (denominação religiosa). Existem basicamente dois tipos de Instituições Sociais, quanto a sua forma de atuação:

1.    Regulativas;
2.    Operativas:

As Instituições Regulativas, como sugere o nome, tem por característica de atuação a regulação. Aqui se enquadra a denominação religiosa, a escola e a família. As instituições operativas caracteriza-se pela atuação operativa, como por exemplo o os órgãos públicos de operação, como o Departamento de cobrança de Impostos.

 Referência Bibliográfica
LAKATOS, Eva Maria; MARCONI, Marina de Andrade. Sociologia Geral. 7ª edição. São Paulo: Atlas, 2010.
http://www.cafecomsociologia.com/2013/01/o-que-e-instituicao-social.html







domingo, 29 de maio de 2016

Como nos tornamos aquilo que somos?


Como nos tornamos aquilo que somos?

1- Definição de Cultura


Cultura é o conjunto de manifestações artísticas, sociais, linguísticas e comportamentais de um povo ou civilização.

Portanto, fazem parte da cultura de um povo as seguintes atividades e manifestações: música, teatro, rituais religiosos, língua falada e escrita, mitos, hábitos alimentares, danças, arquitetura, invenções, pensamentos, formas de organização social, etc.

Uma das capacidades que diferenciam o ser humano dos animais irracionais é a capacidade de produção de cultura.

http://www.suapesquisa.com/o_que_e/cultura.htm

2- Manifestações Culturais

Carnaval de Congo de Máscaras

Uma das mais importantes manifestações folclóricas do município de Cariacica é o Carnaval de Congo de Máscaras.
De acordo com a cultura popular, a tradicional festa surgiu a partir das procissões locais que eram feitas em Cariacica em homenagem a Nossa Senhora da Penha. Diante da dificuldade de locomoção até o Convento da Penha, os moradores decidiram homenagear a santa saindo pelas ruas da localidade em procissões animadas por tambores de congo. Com o passar dos anos, a festa cristã organizada pelos brancos misturou-se às raízes negras e indígenas, dando origem ao carnaval. Hoje é uma das festas mais singulares do folclore capixaba.
Há relatos populares que as máscaras eram usadas pelos antigos escravos (Roda d’Água era uma área de quilombo), que queriam participar da festa, mas não podiam ser reconhecidos. Com o passar do tempo, o uso das máscaras passou a ser uma brincadeira. Os moradores da região que hoje participam da festa, somente retiram a máscara ao final da celebração revelando sua identidade. João Bananeira é o personagem mascarado mais popular e característico do Carnaval de Máscaras de Roda D’Água, sendo um elemento folclórico fundamental para caracterizar a diferença e a originalidade das bandas de congo locais. Ele representa a alegria e a resistência cultural do povo de Cariacica.
As bandas de congo são grupos musicais típicos do Espírito Santo e diretamente ligados à cultura religiosa local. Eles costumam se apresentar devidamente uniformizados em festas religiosas que homenageiam, além de Nossa senhora da Penha, São Pedro, São Benedito, São Sebastião e outras ocasiões festivas. Os grupos são formados por homens, mulheres que cantam, dançam, tocam tambores, caixa, cuíca, chocalhos, ferrinho, pandeiros, apitos e casacas. Normalmente um dos membros do grupo carrega um estandarte que caracteriza o grupo e o santo do qual são devotos. Vale ressaltar que apesar do congo pertencer ao folclore capixaba e ser encontrado em todo Estado o Carnaval de Congo de Máscara é uma manifestação singular, realizado apenas na região de Roda D’Água em Cariacica. 


3- Assista o vídeo: 










FORDISMO x TOYOTISMO


FORDISMO x TOYOTISMO

1- Observe as imagens - Fordismo



2- Observe a imagem- Toyotismo



3- Quadro Comparativo: Fordismo x Taylorismo


4- Vídeo: 






Recuperação Primeiro Ano JCB

Família de vítima de estupro coletivo no Rio dispensa advogada




No fim da tarde deste domingo (29), a advogada Eloísa Samy Santiago informou que a família da menor que teria sofrido violência sexual de 30 homens em uma comunidade na Zona Oeste do Rio de Janeiro dispensou os seus serviços porque a jovem estaria, a partir de agora, aos cuidados da Secretaria de Direitos Humanos do Estado do RJ.
“Hoje à tarde recebi pelo WhatsApp um aúdio da avó da adolescente me agradecendo pelo meu empenho e dedicação ao caso, mas dispensando a continuidade dos meus serviços em razão da família agora estar sob os cuidados e a proteção da Secretaria de Direitos Humanos do Estado”, afirmou Eloísa em uma postagem em uma rede social.
Neste domingo (29), toda a coordenação da investigação do caso de estupro coletivo da adolescente passará para a ser conduzida pela Delegacia da Criança e Adolescente Vítima (DCAV), afirmou o chefe da Polícia Civil, Fernando Veloso:
"Em razão desse elevado desgaste que o delegado [Alessandro Thiers, delegado titular da Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI)] está tendo, a gente vai avaliar se houve falta de habilidade dele na questão do trato com a vítima, ou não. Até para tentar preservar o delegado e garantir a imparcialidade da investigação, para que a gente não tenha que enfrentar discussão sobre a investigação ser conduzida de forma imparcial", disse Veloso.
As investigações estão agora sob a responsabilidade de Cristiana Bento, delegada titular da DCAV, que já  acompanhava as investigações.
"Os autos estão indo para a mão dela. Estarão com ela ainda hoje. Já conversamos e ela vai se inteirar de todas as provas já colhidas e materializadas; e amanhã, a delegada irá se manifestar quanto à necessidade, ou não, de alguma medida cautelar, seja ela de prisão ou não. Mas pode ser se manifestar hoje ainda", informou o chefe de Polícia Civil.
Veloso confirma, ainda, que existe a possibilidade da prisão de alguns dos suspeitos ser pedida ainda neste domingo (29).
"Alguma coisa ela [Cristiana] já tinha conhecimento. Se ela vislumbrar elementos suficientes para a representação de uma medida cautelar, seja de prisão ou até outra, nesse sentido ela o fará ainda hoje", explicou Veloso.
Segundo Veloso, a questão suscitada pela advogada da vítima, Eloísa Samy, de que a menor teria ficado acuada durante depoimento ao delegado Thiers, foi levada em consideração.
"A gente entende que, ainda que o delegado [Alessandro Thiers] estivesse buscando o melhor caminho para esclarecer os fatos, a Dra. Cristiana tem essa habilidade [de tratar com menores vítimas], além de ter o mesmo conhecimento que o Dr. Alessandro. Ela é tão competente quanto ele, são dois excelentes delegados. Ela tem sensibilidade e um conhecimento melhor nessa questão do trato com a vítima. Afinal de contas, esse é o dia a dia dela", afirmou Veloso.
Nesta segunda-feira (30), de acordo com Veloso, a delegada Cristiana Onorato dará mais informações sobre o caso durante coletiva de imprensa. "Vamos fazer um balanço amanhã. A dra. Cristiana já vai se manifestar quanto a decisões tomadas", afirmou.
Adolescente se sente acuada, diz advogada
Neste sábado (28), a advogada da adolescente de 16 anos que denunciou ter sido estuprada por 33 homens, Eloisa Samy, disse que pediria a a substituição do delegado Alessandro Thiers, que estava à frente do caso.

Segundo Samy informou ao RJTV, durante o novo depoimento da jovem na noite de sexta (27), o delegado deixou a menor se sentindo acuada.
“Havia três homens no ambiente e o delegado, ainda por cima, fez a pergunta se ela tinha hábito de fazer sexo em grupo.”, afirmou a advogada.
O pedido da advogada para que Thiers fosse afastado chegou, neste domingo, ao plantão judiciário do Tribunal de Justiça do Rio, mas, a juíza Angélica Costa adiou decisão sobre o caso. Com isso o processo será remetido nesta segunda-feira (30) para uma vara criminal.
Operação na Zona Oeste
A Polícia Militar realizou na manhã deste domingo uma operação nas comunidades de São José Operário e Covanca, na Praça Seca, Zona Oeste do Rio, para, entre outros objetivos, buscar suspeitos de participação no caso da adolescente que denunciou ter sido vítima de um estupro coletivo envolvendo 33 homens. Setenta policiais participaram da ação.

Veloso comentou a operação: “Quanto à operação de hoje. Ela é uma de uma série. Há interesse que sejam ouvidas quaisquer pessoas que tenham alguma relação, algum tipo de ligação com o tráfico daquela localidade. Só aconteceu daquela forma que foi descrita, que está sendo investigada, porque o tráfico de drogas, de alguma maneira, permitiu isso”.
Links relacionados: 
Reações ao estupro coletivo da jovem carioca mostram um país indignado

Orientações para a Recuperação:
1- Produzir e postar aqui no blog um vídeo (de no máximo 5 mim.) sobre o estupro coletivo ocorrido no Rio de Janeiro explicando esse acontecimento a partir do método de análise comparativo de Durkheim.
2- A atividade será realizada em dupla e os membros da dupla deverão participar do vídeo. Não necessariamente os dois juntos.
3- O prazo para postagem é dia 02/06 as 22hs. Trabalhos postados depois dessa desse horário não serão aceitos.
4- Não se esqueça de indicar o nome dos alunos, turma e turno.

Por motivos técnicos você precisará postar seu vídeo no meu canal no Youtube: 
https://www.youtube.com/channel/UCxOrzpARvjDUuwcWph1_rbg
login: professorbravin@gmail.com  
senha: 190208lele