sábado, 19 de novembro de 2016

GÊNERO E SEXUALIDADE (ATIVIDADE E GABARITO)

1. (Enem)  TEXTO I

Ela acorda tarde depois de ter ido ao teatro e à dança; ela lê romances, além de desperdiçar o tempo a olhar para a rua da sua janela ou da sua varanda; passa horas no toucador a arrumar o seu complicado penteado; um número igual de horas praticando piano e mais outra na sua aula de francês ou de dança.

Comentário do Padre Lopes da Gama acerca dos costumes femininos [1839] apud SILVA, T. V. Z.Mulheres, cultura e literatura brasileira. Ipotesi — Revista dos Estudos Literários, Juiz de Fora, v. 2. n. 2, 1998.

TEXTO II

As janelas e portas gradeadas com treliças não eram cadeias confessas, positivas; mas eram, pelo aspecto e pelo seu destino, grande gaiolas, onde os pais e maridos zelavam, sonegadas à sociedade, as filhas e as esposas.
MACEDO, J.M. “Memória da Rua do Ouvidor [1878]”. Disponível em: www.dominiopublico.gov.br. Acesso em: 20 maio 2013 (adaptado).

A representação social do feminino comum aos dois textos é o(a)
a) submissão de gênero, apoiada pela concepção patriarcal de família.   
b) acesso aos produtos de beleza, decorrência da abertura dos portos.   
c) ampliação do espaço de entretenimento, voltado às distintas classes sociais.   
d) proteção da honra, medida pela disputa masculina em relação às damas da corte.   
e) valorização do casamento cristão, respaldado pelos interesses vinculados à herança.   
  
2. (Enem PPL)  Leia atentamente o trecho.
Mirem-se no exemplo
Daquelas mulheres de Atenas
Vivem pros seus maridos
Orgulho e raça de Atenas.

BUARQUE, C.; BOAL, A. “Mulheres de Atenas”.

Os versos da composição remetem à condição das mulheres na Grécia antiga, caracterizada, naquela época, em razão de 
a) sua função pedagógica, exercida junto às crianças atenienses.    
b) sua importância na consolidação da democracia, pelo casamento.    
c) seu rebaixamento de status social frente aos homens.    
d) seu afastamento das funções domésticas em períodos de guerra.    
e) sua igualdade política em relação aos homens.   
  
3. (Uepb) O texto abaixo retrata a Questão de Gênero.

“O direito a uma vida livre de violência é um dos direitos básicos de toda mulher. É pela garantia desse direito que marchamos hoje e marcharemos sempre, até que todas sejamos livres”.

Esse texto constava entre os inúmeros cartazes na Segunda Marcha das Vadias no Distrito Federal.

Com base nas informações da charge, do texto e seus conhecimentos sobre o tema, são verdadeiras as afirmativas, EXCETO: 
a) A violência física contra a mulher é o estágio de uma série de violências verbais, simbólicas, psicológicas que atingem mulheres todos os dias. A discriminação histórica contra a mulher não é fruto de uma concepção patriarcal que ainda impera, mesmo inconscientemente, na sociedade.    
b) A marcha das vadias objetiva conscientizar a sociedade de que a culpa do estupro não é da mulher e o estupro não dever estar associado ao modo como ela se veste. Protestam contra a culpabilização das vitimas nos casos das violências sofridas. Criticam também as instituições que sustentam a dominação e a exploração contra a mulher.    
c) A mercantilização do corpo da mulher, do prazer e a banalização da exploração sexual são dimensões da globalização econômica. A mulher é considerada alvo estratégico do consumismo e o apelo sexual o elemento central nesse método.    
d) Mulheres trabalhadoras assalariadas, depois do trabalho nas fábricas, no comércio, no campo ou como empregadas domésticas, são subordinadas à dupla jornada de trabalho ao realizarem as tarefas domésticas ao chegarem em casa. Já as mulheres burguesas ou de classe média alta, mesmo que trabalhem, relegam as mulheres mais pobres a essa segunda atividade. Logo, em sua grande maioria são as mulheres pobres e trabalhadoras exploradas e oprimidas que lutam de forma consciente contra a opressão.    
e) A opressão ao sexo feminino nas empresas se dá na prática do assédio e abuso sexual em troca da manutenção do emprego e das promoções de cargos. As mulheres que não aceitam esses “pré-requisitos” têm que se desdobrar e demonstrar capacidade e superioridade para se manter em seus empregos.   
  
4. (Enem)  Ninguém nasce mulher; torna-se mulher. Nenhum destino biológico, psíquico, econômico define a forma que a fêmea humana assume no seio da sociedade; é o conjunto da civilização que elabora esse produto intermediário entre o macho e o castrado que qualificam o feminino.
BEAUVOIR, S. O segundo sexo. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1980.

Na década de 1960, a proposição de Simone de Beauvoir contribuiu para estruturar um movimento social que teve como marca o(a)
a) ação do Poder Judiciário para criminalizar a violência sexual.   
b) pressão do Poder Legislativo para impedir a dupla jornada de trabalho.   
c) organização de protestos públicos para garantir a igualdade de gênero.   
d) oposição de grupos religiosos para impedir os casamentos homoafetivos.   
e) estabelecimento de políticas governamentais para promover ações afirmativas.   
  
5. (Enem PPL)  Maria da Penha

Você não vai ter sossego na vida, seu moço
Se me der um tapa
Da dona “Maria da Penha”
Você não escapa
O bicho pegou, não tem mais a banca
De dar cesta básica, amor
Vacilou, tá na tranca
Respeito, afinal, é bom e eu gosto
[...]
Não vem que eu não sou
Mulher de ficar escutando esculacho
Aqui o buraco é mais embaixo
A nossa paixão já foi tarde
[...]
Se quer um conselho, não venha
Com essa arrogância ferrenha
Vai dar com a cara
Bem na mão da “Maria da Penha”

ALCIONE. De tudo o que eu gosto. Rio de Janeiro: Indie; Warner, 2007.

A letra da canção faz referência a uma iniciativa destinada a combater um tipo de desrespeito e exclusão social associado, principalmente, à(s)
a) mudanças decorrentes da entrada da mulher no mercado de trabalho.   
b) formas de ameaça doméstica que se restringem à violência física.   
c) relações de gênero socialmente construídas ao longo da história.   
d) violência doméstica contra a mulher relacionada à pobreza.   
e) ingestão excessiva de álcool pelos homens.   
  
6. (Enem PPL) 
As figuras indicam mudanças no universo feminino, como a
a) decadência da Monarquia, revelada pela aparição solitária e informal das nobres.   
b) redução na escolaridade, simbolizada pela vida dinâmica e sem dedicação à leitura.   
c) ampliação do status, conferida pela passagem do local rústico para os jardins do palácio.   
d) inclusão na política, representada pela diferença entre o espaço privado e o espaço público.   
e) valorização do corpo, salientada pelo uso de roupas mais curtas e pela postura mais relaxada.   
  
7. (Enem PPL) Leia atentamente

Sempre teceremos panos de seda
E nem por isso vestiremos melhor.
Seremos sempre pobres e nuas
E teremos sempre fome e sede
Nunca seremos capazes de ganhar tanto
Que possamos ter melhor comida.

CHRÉTIEN DE TROYES. Yvain ou le Chevalier au lion (1177-1181). Apud MACEDO, J. R. A mulher na Idade Média. São Paulo: Contexto, 1992 (adaptado).

O tema do trabalho feminino vem sendo abordado pelos estudos históricos mais recentes. Algumas fontes são importantes para essa abordagem, tal como o poema apresentado, que alude à
a) inserção das mulheres em atividades tradicionalmente masculinas.   
b) ambição das mulheres em ocupar lugar preponderante na sociedade.   
c) possibilidade de mobilidade social das mulheres na indústria têxtil medieval.   
d) exploração das mulheres nas manufaturas têxteis no mundo urbano medieval.   
e) servidão feminina como tipo de mão de obra vigente nas tecelagens europeias.   
  
8. (Enem)  Tenho 44 anos e presenciei uma transformação impressionante na condição de homens e mulheres gays nos Estados Unidos. Quando nasci, relações homossexuais eram ilegais em todos os Estados Unidos, menos Illinois. Gays e lésbicas não podiam trabalhar no governo federal. Não havia nenhum político abertamente gay. Alguns homossexuais não assumidos ocupavam posições de poder, mas a tendência era eles tornarem as coisas ainda piores para seus semelhantes.

ROSS, A. “Na máquina do tempo”. Época, ed. 766, 28 jan. 2013.

A dimensão política da transformação sugerida no texto teve como condição necessária a
a) ampliação da noção de cidadania.   
b) reformulação de concepções religiosas.   
c) manutenção de ideologias conservadoras.   
d) implantação de cotas nas listas partidárias.   
e) alteração da composição étnica da população.   
  
9. (Uema)  Um dos fenômenos sociais de destaque nos estudos sociológicos são as instituições sociais. Conceituadas como “toda forma ou estrutura social estabelecida, constituída, sedimentada na sociedade e com caráter normativo – ou seja, ela define regras e exerce formas de controle social”. Por isso, mudanças nas instituições sociais geralmente envolvem disputas entre conservadores e progressistas.

OLIVEIRA, Pérsio Santos de. Introdução à Sociologia. São Paulo: Ática, 2008.

A situação que tem gerado disputa ideológica na sociedade brasileira tanto no discurso de senso comum como nas instâncias de poder, em virtude do processo de mudança na formatação da instituição social denominada de família, é
a) a comemoração ao divórcio.   
b) o casamento religioso entre viúvos.   
c) a união estável para os casais idosos.   
d) a adoção de crianças por casais do mesmo sexo.   
e) a perda da guarda dos filhos por abandono de incapaz.   
  
10. (Unioeste)  No dia 22 de junho de 2015, a Assembleia Legislativa do Paraná colocou como pauta de discussão o debate sobre a “ideologia de gênero” nas escolas do Paraná. Sabe-se que o conceito de gênero é fundamental para a compreensão das desigualdades entre homens e mulheres e coloca em xeque as atribuições relacionais que a sociedade constrói para homens e mulheres. Dada a repercussão do tema e a relevância da temática, é CORRETO afirmar sobre questões de gênero.
a) O debate sobre gênero na educação interessa apenas aos homens e para as pessoas que só têm atração sexual por pessoas do sexo oposto.   
b) Nas concepções sobre gênero, o sexo biológico corresponde a uma identidade cultural que se mantém inalterada até o final da vida.   
c) A identidade de gênero é determinada biologicamente e não pode ser modificada pela cultura, pelo meio social, pela educação nem por todas as relações sociais que fazem parte da vida dos indivíduos.   
d) A compreensão da temática de gênero perpassa um sistema de relações de poder, baseadas em um conjunto de papéis, identidade, comportamentos e estereótipos atribuídos a mulheres e homens.   
e) As relações de gênero não estão ligadas a contextos de relações de poder e desigualdade, ao contrário das relações travadas entre as classes sociais e os grupos étnicos.   
  
11. (Ufu)  A Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) liberou nesta quarta-feira (25) o uso de todos os banheiros da instituição por qualquer pessoa, conforme o gênero com que se identifica. A iniciativa se deu pela adoção da campanha “Libera meu xixi”, voltada ao combate da transfobia em espaços públicos. Nos próximos dias, banheiros de todo o campus receberão uma placa com a frase “Aqui você é livre para usar o banheiro correspondente ao gênero com que se identifica”.

Para se entender as motivações para o desenvolvimento de uma política pública como a descrita, é necessário saber que:
a) O sexo determina a conduta social dos indivíduos.   
b) Não há uma definição biológica para o conceito de sexo.   
c) O gênero é uma construção social.   
d) As diferenças de gênero são definidas geneticamente.   
  
12. (Unioeste)  No Brasil, ainda são elevados os índices de violência e desigualdades de direitos entre homens e mulheres. Alguns estudos de gênero defendem a necessidade de analisarmos, com mais propriedade, a situação das mulheres e demais grupos subalternizados, social e cientificamente. Sobre os temas ligados aos estudos de gênero, assinale a afirmativa INCORRETA.
a) Debater o tema da cidadania das mulheres é também analisar um processo que envolve a participação das mulheres na esfera pública e no mercado de trabalho, marcada por inclusões e exclusões que vêm desde o século XVIII.   
b) No âmbito teórico, os movimentos feministas, ao entrarem na academia e ao fazerem crítica às categorias de análise, produziram o conceito de gênero.   
c) Quando se fala em estudos de gênero, se pensa na igualdade de direitos entre mulheres e homens, e, em alguns casos, em reivindicações por atendimentos especiais às mulheres.   
d) As políticas públicas, consideradas em sua variedade e alcance, são um importante instrumento para a concretização dos objetivos das mulheres.   
e) O problema da violência contra a mulher no Brasil foi solucionado com a promulgação da Lei Maria da Penha.   
GABARITO 

1- A 
2- C
3- A
4- C
5- C
6- E
7- D
8- A
9- D
10- D
11- B
12- E 

ESTADO, PODER E POLÍTICA (ATIVIDADE E GABARITO)

1. (Unioeste)  Max Weber (1864-1920) afirma que “devemos conceber o Estado contemporâneo como uma comunidade humana que, dentro dos limites de determinado território […], reivindica o monopólio do uso legítimo da violência física” (Weber, Ciência e Política: duas vocações. São Paulo: Cultrix, 2006, p. 56). Assinale a alternativa CORRETA, a respeito do significado da afirmação de Weber.
a) Para Weber, no caso do Estado contemporâneo, apenas seus agentes podem utilizar a violência de modo legítimo dentro dos limites do seu território.    
b) O Estado foi sempre o único agente que pode utilizar legalmente a violência com o consentimento dos cidadãos – a violência dos pais contra os filhos, por exemplo, sempre foi ilegal.   
c) Atualmente, o Estado é o único agente que utiliza a violência (ameaças, armas de fogo, coação física) como meio de atingir seus fins – assim a segurança de todos os cidadãos está garantida.   
d) Outros grupos também podem utilizar a violência como recurso – por exemplo, as empresas privadas de vigilância – independente da autorização legal do Estado.   
e) Todos os cidadãos reconhecem como legítima qualquer violência praticada pelos agentes do Estado contemporâneo – por exemplo, quando a polícia usa balas de borracha contra grevistas.   
  
2. (Unimontes)  O Estado, objeto de estudo da Sociologia e da Ciência Política, constitui um mecanismo de controle social existente na sociedade. É CORRETO afirmar que
a) o Estado democrático tem o poder pleno para determinar a vida de todos os indivíduos em sociedade, a partir do exercício de uma autoridade pessoal.   
b) o Estado constitui a totalidade da estrutura social.   
c) só o Estado possui autoridade - poder legitimo - para regulamentar o uso da força.   
d) somente o Governo expressa a autoridade legítima do Estado, com os demais Poderes assumindo uma atuação alheia a esse aparato institucional.   
  
3. (Ufu)  Nas Ciências Sociais, particularmente na Ciência Política, definir o Estado sempre foi uma tarefa prioritária. As tentativas nesta direção fizeram com que vários intelectuais vissem o Estado de formas diferentes, com naturezas diferentes. Numa palestra intitulada Política como vocação, Max Weber nos adverte, por exemplo, que o Estado pode ser entendido como uma relação de homens dominando homens. No trecho da canção d´O Rappa, Tribunal de Rua, dominação é o que se percebe, também, na relação entre cidadãos e policiais (braço armado do Estado).

A viatura foi chegando devagar
E de repente, de repente resolveu me parar
Um dos caras saiu de lá de dentro
Já dizendo, aí compadre, você perdeu
Se eu tiver que procurar você tá fodido
Acho melhor você ir deixando esse flagrante comigo [...].
O Rappa. Lado A Lado B. Warner, 1999.

A partir da perspectiva weberiana, relacionada ao trecho da canção acima, evidencia-se que a dominação do Estado
a) é exercida pela autoridade legal reconhecida, daí caracterizar-se fundamentalmente como dominação racional legal.   
b) é estabelecida por meio da violência prioritariamente exercida contra grupos e classes excluídos social e economicamente.   
c) ocorre a partir da imposição da razão de Estado, ainda que contra as vontades dos cidadãos que, normalmente, àquela resistem.   
d) a exemplo da dominação de outras instituições, opera de forma genérica, exterior e coercitiva.   
  
4. (Unicentro)  O conceito correto de Estado está explicitado na alternativa
a) É uma forma de organização com poder supremo e cargos distribuídos por poderes, que são limitados por normas específicas.   
b) Forma-se através da organização de um grupo de pessoas, cidadãos, que tem o poder de mandar em um território, de acordo com a lei.   
c) Consiste em uma habilidade de determinado grupo fazer valer seus próprios interesses ou as próprias preocupações, mesmo diante de resistências.   
d) É uma instituição sobre a qual se exerce a soberania através da organização de um grupo de pessoas que têm status social similar, segundo critérios diversos, especialmente, o econômico.   
e) Existe onde há um mecanismo de governo controlando determinado território, com autoridade legitimada e capacidade de uso da força militar para sua implementação política.   
  
5. Marx e Weber foram teóricos da Sociologia que descreveram o funcionamento da sociedade de forma distinta. Com relação às teorias sobre o Estado, podemos concluir que:
a) elas divergem, pois para Marx o Estado é regulador da sociedade, enquanto para Weber ele exerce a dominação.
b) a teoria de Weber enobrece o Estado na sociedade pelos benefícios sociais, ao contrário de Marx.
c) os teóricos relatam o Estado como a mais importante instituição da sociedade moderna.
d) os dois sociólogos têm a mesma visão enobrecedora do Estado na sociedade moderna.
e) os dois teóricos consideram que o Estado exerce um processo de dominação sobre a sociedade.

6. (Enem PPL)  Colonizar, afirmava, em 1912, um eminente jurista, “é relacionar-se com os países novos para tirar benefícios dos recursos de qualquer natureza desses países, aproveitá-los no interesse nacional, e ao mesmo tempo levar às populações primitivas as vantagens da cultura intelectual, social, científica, moral, artística, literária, comercial e industrial, apanágio das raças superiores. A colonização é, pois, um estabelecimento fundado em país novo por uma raça de civilização avançada, para realizar o duplo fim que acabamos de indicar”.

MÉRIGNHAC. Précis de législation et d´économie coloniales. Apud LINHARES, M. Y. A luta contra a Metrópole (Ásia e África). São Paulo: Brasiliense, 1981.

A definição de colonização apresentada no texto tinha a função ideológica de
a) dissimular a prática da exploração mediante a ideia de civilização.   
b) compensar o saque das riquezas mediante a educação formal dos colonos.   
c) formar uma identidade colonial mediante a recuperação de sua ancestralidade.   
d) reparar o atraso da Colônia mediante a incorporação dos hábitos da Metrópole.   
e) promover a elevação cultural da Colônia mediante a incorporação de tradições metropolitanas.   
  
7. A gente não sabemos escolher presidente
A gente não sabemos tomar conta da gente
A gente não sabemos nem escovar os dentes
Tem gringo pensando que nóis é indigente
Inútil...
A gente somos inútil. MOREIRA, R. Inútil. 1983 (fragmento).

O fragmento integra a letra de uma canção gravada em momento de intensa mobilização política no Brasil pelo fim da Ditadura Militar. A canção foi censurada por estar associada:  
a) ao rock nacional, que sofreu limitações desde o início da ditadura militar.    
b) a uma crítica ao regime ditatorial que, mesmo em sua fase inicial, impedia a escolha popular do presidente.
c) à falta de conteúdo relevante, pois o Estado buscava, naquele contexto, a conscientização da sociedade por meio da música.           
d) à dominação cultural dos Estados Unidos da América sobre a sociedade brasileira, que o regime militar pretendia esconder.        
e) a alusão à baixa escolaridade e à falta de consciência política do povo brasileiro.
 

8. (Interbits)  Considerando o regime político brasileiro após a Constituição de 1988, pode-se dizer que o Brasil é um/uma:
a) República democrática parlamentarista.   
b) Ditadura democrática nacionalista.   
c) República democrática presidencialista.   
d) Parlamentarismo republicano.   
e) Monarquia republicana democrática.   
  
9. A lei não nasce da natureza, junto das fontes frequentadas pelos primeiros pastores: a lei nasce das batalhas reais, das vitórias, dos massacres, das conquistas que têm sua data e seus heróis de horror: a lei nasce das cidades incendiadas, das terras devastadas; ela nasce com os famosos inocentes que agonizam no dia que está amanhecendo.
FOUCAULT. M. Aula de 14 de janeiro de 1976. In. Em defesa da sociedade. São Paulo: Martins Fontes. 1999

O filósofo Michel Foucault (séc. X) inova ao pensar a política e a lei em relação ao poder e à organização social. Com base na reflexão de Foucault, a finalidade das leis na organização das sociedades modernas é:
a) combater ações violentas na guerra entre as nações.
b) coagir e servir para refrear a agressividade humana.
c) criar limites entre a guerra e a paz praticadas entre os indivíduos de uma mesma nação.      
d) estabelecer princípios éticos que regulamentam as ações bélicas entre países inimigos.      
e) organizar as relações de poder na sociedade e entre os Estados.
 

10. (Interbits) A presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministra Cármen Lúcia Antunes Rocha, falou, nesta sexta (13), sobre a importância do processo eleitoral frente à democracia brasileira. Para ela, essas eleições serão um desafio para a Justiça Eleitoral, que deverá aplicar, pela primeira vez, a Lei da Ficha Limpa. “Ninguém tolera mais a corrupção. Temos que fazer cumprir essa lei”, disse.

Fonte: Bahia Toda Hora. 14 jul. 2012. Disponível em: <http://www.bahiatodahora.com.br/noticias/...ucia>. Acesso em 21 nov. 2012.

Nos últimos anos, surgiu uma forte mobilização social em favor da promulgação da chamada Lei da Ficha Limpa, que procura evitar que políticos com fortes indícios de corrupção possam ser eleitos nas eleições. A respeito da relação entre corrupção, processo eleitoral e legislação, assinale a alternativa incorreta:
a) Apesar de praticada, é consenso considerar que corrupção é um ato que afronta a sociedade.   
b) A legitimidade dos processos eleitorais depende da confiança da população nas instituições públicas.   
c) Uma democracia somente é eficaz se o povo se sente representado pelos políticos eleitos.   
d) A lei abarca diversas demandas sociais. É por isso que toda lei é uma construção histórica.   
e) A corrupção diz respeito às condutas individuais, não podendo ser considerada como um fenômeno social.   
  

11. (Ufu)  Sobre o sistema político brasileiro atual é correto afirmar que
a) o descumprimento de promessas de campanha implica a perda do mandato político.   
b) os eleitores escolhem representantes pelo critério do mandato imperativo.   
c) referendo e plebiscito são possibilidades constitucionais de participação direta.   
d) entre os crimes de responsabilidade que podem produzir a perda de mandato, está a ruptura com itens do programa partidário.   
  
12. (Unimontes)  O termo “cidadania” foi consagrado pelo sociólogo inglês Thomas Humphrey Marshall (1893-1981), o qual, segundo esse autor, implica um sentimento de pertencimento e lealdade a uma civilização. Sobre esse assunto, analise as proposições abaixo.

I. A noção de cidadania se estabelece a partir dos deveres de cada indivíduo para com o Estado, mas também pelos direitos que esse Estado lhe garante.
II. Cidadania é exercer a liberdade individual em todas as circunstâncias da vida social, sem nenhum empecilho jurídico.
III. Cidadania é também acesso a uma renda adequada, que permita ao cidadão desfrutar de um padrão de vida comum a seus concidadãos.
IV. Cidadania implica reconhecer as particularidades de gênero, cultura, raça e sexualidade.

Estão CORRETAS as afirmativas
a) IV, II e I, apenas.   
b) I, III e IV, apenas.   
c) II, III e IV, apenas.   
d) I, II e III, apenas.   
  
13. (Unimontes)  Em termos legais, a ideia de cidadania diz respeito às regras segundo as quais é conferida a pertença nacional. Essas regras podem ser baseadas na linguagem, no território, ou na combinação de ambos. O sociólogo inglês Thomas Humphrey Marshall problematiza o conceito de cidadania, colocando-o em oposição ao fenômeno da exclusão. Portanto, é INCORRETO afirmar:
a) Cidadania se estabelece não só a partir dos deveres de cada indivíduo para com o Estado, mas também pelos direitos que esse Estado lhe garante.   
b) Um indivíduo que desfruta da condição de cidadão é aquele autorizado a exercer sua liberdade sem restrições sociais e muito menos sem ser constrangido com as normas e regulação do Poder Público.   
c) Historicamente, o usufruto dos direitos civis permitiu a demanda e obtenção dos direitos políticos, e estes teriam aberto o caminho para a conquista, pela via democrática, dos direitos sociais.   
d) A evolução do conceito de cidadania possibilitou a afirmação das particularidades de gênero, cultura, raça e sexualidade e, notadamente, de classe social no Brasil contemporâneo.   
  
14. (Uema)  A questão da corrupção está em evidência e aumenta o desencanto com a política. Considerada como um dos maiores males da democracia, suas consequências são nefastas. Shakespeare, em “Medida por medida”, destacou essa problemática, conforme o fragmento abaixo: Uma coisa é ser tentado e outra coisa é cair em tentação. Não posso negar que não se encontre num júri, examinando a vida de um prisioneiro, um ou dois ladrões, entre os jurados, mais culpados do que o próprio homem que estão julgando. A Justiça só se apodera daquilo que descobre. Que importa as leis que ladrões condenem ladrões?

SHAKESPEARE, W. Comédias e sonetos. São Paulo: Círculo do Livro, 1994.

Assinale a alternativa que expressa o sentido da corrupção política.
a) Uso do poder público para proveito, promoção ou prestígio particular, ou em benefício de um grupo ou classe, constituindo violação da lei ou de padrões de elevada conduta moral.   
b) Utilização da violência nua para impor autoridade e auferir benefícios particulares. As vantagens obtidas se apoiam no poder dos dominantes e no uso da arbitrariedade.   
c) Fenômeno político baseado na capacidade simbólica de exercer ascendência sobre os outros, utilizando expressivamente a coação.   
d) Fenômeno que coloca todos em nível de igualdade – vendedores e compradores – com a finalidade de promover a troca de bens serve de elemento regulador das relações entre os indivíduos.   
e) Fenômeno político que induz a um benefício ou direito desfrutado por indivíduos, partilhado pela generalidade das pessoas.   

15- (Ufu 2011)  Na concepção de Weber, a política é uma atividade geral do ser humano. A atividade política se desenvolve no interior de um território delimitado e a autoridade política reivindica o direito de domínio, ou seja, o direito de poder usar a força para se fazer obedecer. Se há obediência às ordens, ocorre uma situação de dominação.
Sobre os tipos de dominação, assinale a alternativa correta.
a) A dominação legal racional é a mais impessoal, pois se baseia na aplicação de regras e normas aos casos particulares.  
b) O machismo é o tipo mais característico de dominação legal racional.   
c) A forma mais típica de dominação tradicional é a burocracia.   
d) A dominação carismática constitui um tipo bastante comum de poderio, na medida em que se baseia na crença em qualidades pessoais comuns a todos os indivíduos.


GABARITO:

1- A
2- C
3- A
4- E
5- E
6- A 
7- A 
8- C 
9- B
10- E
11- D
12- B
13- B
14- A
15- A